Desenvolvimento regional. Esta será uma das prioridades para a Paraíba, a partir de 2019. É isto que defende o pré-candidato ao Governo do Estado pelo PSB, João Azevêdo. Durante entrevista à rádio e TV Arapuan, na tarde desta quinta-feira (19), ele garantiu que o programa Empreender Paraíba será transformado em uma agências de fomento.

A proposta garantirá que não apenas microempreendedores, mas que outros perfis de pessoas jurídicas também sejam beneficiados, como prefeituras.

“A partir do momento que se faz essa transformação, se permite e possibilita um leque enorme de financiamento para outros segmentos que não são atendidos hoje pelo Empreender. Até mesmo prefeituras. Às vezes a prefeitura tem a necessidade de construção de um equipamento, mas ele não é possível de se financiar pelo Empreender porque, tratando-se de uma entidade como uma prefeitura, o financiamento só é viável com um sistema bancário oficial”, afirmou.

João explicou a necessidade desta transformação. Se trata da promoção do desenvolvimento regional, um dos pilares fundamentais que será apresentado em seu plano de governo.

“Não é possível mais se imaginar um Estado em que João Pessoa e Campina Grande tenham a obrigação de concentrar a geração de emprego para toda a população da Paraíba. Isso não existe! Então, promover desenvolvimento regional, levantar as potencialidades maiores de cada região e poder disponibilizar isso para que a população que nasça em uma determinada região possa, a partir dali ter sua vida decidida, é fundamental, se essa for, claro, a escolha do cidadão”, argumentou.

Para ele, é preciso olhar o perfil econômico de cada região e assim estabelecer, através de ações do Governo do Estado, evolução em vários setores. “A partir do momento em que se regionaliza o Estado, se pode identificar os maiores potenciais de cada região. Quando a gente fala de São Bento, fala das redes. Aquela é uma região que efetivamente tem um modelo de desenvolvimento para a cidade e que influencia a região de maneira consolidada. Nós temos que identificar o que é que ainda precisa ser feito para que aquela região se torne muito maior. Quando se vai para Cajazeiras, se identifica um potencial enorme daquilo que se refere a vestuário, confecção. Então, tem que a partir daí, levar a presença de governo, fortalecendo cada segmento desse”, disse.

*Desenvolver ainda mais é possível*

Com as políticas públicas implantadas na gestão do governador Ricardo Coutinho (PSB) voltadas para a segurança hídrica e melhoria na malha rodoviária, é possível planejar o desenvolvimento econômico de municípios antes vistos como minoritários por outras gestões, de acordo com João.

“A Paraíba tem um potencial enorme de desenvolvimento para cada região. A chegada das águas do Rio São Francisco, fazendo com que o Cariri, por exemplo, que antes era absolutamente sem perspectiva de desenvolvimento, passa a ter um novo alento, uma nova condição. O desenvolvimento do Cariri é possível ser planejado, pensado, agregando valores a coisas que já existem lá, considerando a questão da logística rodoviária resolvida e tem a água também chegando”, explanou.

*Diminuir caminhos, reduzir distâncias*

De acordo com João, o principal desafio de seus adversários é entender que a Paraíba passou e passa por um processo revolucionário na administração pública, ao descentralizar investimentos para beneficiar todos os 223 municípios, e ao mudar a forma de se planejar e criar novas políticas públicas, antes inexistentes.

“Quando qualquer plano de governo que se apresente cair no tradicional, para aquilo que era antes colocado, como construir uma estrada, construir adutoras, escolas, a história da Paraíba demonstra claramente que é preciso fazer muito mais do que isso. Até porque, se analisar, a questão logística de transporte está resolvida, com as estradas que foram construídas. Não que não precise de mais outras. Mas é que agora nós vamos trabalhar o segmento de estradas muito mais com aquilo que nós chamamos de diminuir caminhos, diminuir distâncias entre os paraibanos para que a gente possa dar continuidade e implantar um grande plano de preservação e manutenção das estradas”, propôs.

Leave a Reply

Your email address will not be published.