Nesta terça-feira (30), em Curitiba, os debates foram além da reforma tributária. Nos dois painéis temas importantíssimos para a segurança pública no Brasil. De acordo com o deputado Efraim Filho (DEM), que participou do primeiro painel como presidente da Frente Parlamentar Mista de Combate ao Contrabando e à Falsificação, os crimes de fronteira vêm apresentando resultados expressivos. “Em 2018 foram apreendidos mais de R$ 3 bilhões em produtos, valor 40% superior a 2017, resultado somente da Receita Federal, mas também é alto o valor de apreensão da Polícia Federal. Com esse crescimento absurdo temos que intensificar as ações e juntamente com o Etco, estamos viabilizando não só a mudança na lei, como também fortalecendo iniciativas de combate ao contrabando”. Explicou Efraim Filho.

Convidado pelos jornais Valor Econômico e Gazeta do Povo para debater sobre o mercado legal, contrabando e Reforma Tributária, o deputado Efraim Filho, ressaltou que é preciso, não só alterar a lei, mas a cultura do Brasil. “Posso dizer, como parlamentar, que o grande desafio do país hoje não é criar leis, mas implementar as normas. Para citar como exemplo, tudo que houve no Pará essa semana poderia ser evitado se alei fosse cumprida”, afirmou o deputado, referindo-se à chacina de 57 presos em Altamira, por conta de brigas entre facções criminosas.

“Nas programações dos dois eventos linhas de pensamentos diferentes, mas com único objetivo: Combater o crime de contrabando, falsificação e defender o mercado legal”. Declarou Efraim Filho ao ressaltar que o parlamento está à disposição para acatar sugestões e construir juntamente com as instituições parceiras e órgãos públicos, políticas para que os crimes de contrabando e falsificações sejam combatidos fortemente.

O deputado Efraim destacou também a necessidade de mais atenção nas fronteiras do país. “Nossas fronteiras são vulneráveis. Precisamos fortalecer a polícia e fazer com que a sociedade volte a acreditar nas instituições. Isso passa pelo exemplo, inclusive o nosso, do Parlamento”, afirmou o congressista.

“Para evitar o contrabando e ter uma reforma satisfatória é necessário acabar com as distorções sobre a matéria”, finalizou Efraim.

O fórum de debates em São Paulo foi no dia 23 de julho, que além das questões tributárias relacionadas ao contrabando e à falsificação colocou na pauta a reforma que tramita na Câmara dos Deputados.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Send this to a friend