A vereadora Eliza Virgínia (PP) continua sendo contra melhorias que são pautadas na Câmara Municipal de João Pessoa.

Esta semana, Eliza votou contra uma proposta de remanejamento orçamentário proposto pelo Executivo para não contemplar o Procon de João Pessoa, pasta comandada pelo vereador licenciado, Helton Renê. Aquele que é comunista (por estar filiado ao PCdoB) que se diz socialista.

Ao negar uma proposta que direciona melhorias para o atendimento da população, Eliza mostra para o que não veio.

A utilização de perseguição como justificativa para contrariar propostas, que visam exclusivamente trazer melhorias para serviços ofertados para o povo, demonstra claramente o excesso de egoísmo.

Inveja? Talvez sim, talvez não. A vereadora faz questão de expressar seus posicionamentos nada políticos, perseguindo colegas da Casa e contrariando, por “pirraça” propostas fundamentais para manutenção de órgãos como foi o caso da Secretaria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-JP). Logo ela, que ao longo desses exaustivos anos de gestão do prefeito Luciano Cartaxo a frente da Prefeitura de João Pessoa, nunca foi convidada para comandar nem subcoordenadoria.

De acordo com ela, João Pessoa precisa de mais empresas e menos Procon, um órgão que é de extrema importância no auxílio ao consumidor e que necessita também de recursos para oferecer o melhor serviço de apoio à população. Para quem ganha salário de vereador, é fácil defender mais empresas e o capitalismo selvagem. Para mim e para você, que ganha o salário base ou o mínimo, o Procon é a luz no fim do túnel para tanto abuso e desrespeito da claque empresarial que insiste em cobrar caro por péssimos serviços.

Eliza ao defender ‘mais empresas, menos Procon’, mostra a quem ela serve. E parece que ao povo é que não é.

 

Paraíba Já- Contrapoder

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Send this to a friend