Em entrevista ao Bastidores da Política, Wallber disse que a fuga de mais de 105 presos tem relação direta com a má gestão estadual. “É uma gestão amadora e que se equivoca, que se perdeu no tempo e no espaço e a tendência é piorar. Depois dessa ação, corre o risco de outros presídios quererem fazer o mesmo e isso é muito perigoso para a população e para os policiais”, alertou.

 

O ex-secretário de Administração Penitenciária da Paraíba e delegado da Polícia Civil de carreira, Wallber Virgolino (Patriotas), comentou o fato ocorrido na madrugada desta segunda-feira (10), na Penitenciária de Segurança Máxima Romeu Gonçalves Abrantes, o PB1, e as consequências desse tipo de ação vinda de criminosos na vida dos paraibanos.

Segundo o ex-secretário, no Nordeste e principalmente na Paraíba não existe uma política de segurança pública, nem um sistema penitenciário eficiente e a gestão vem tentando ao longo dos anos mascarar o baixo desempenho fazendo propagandas com policiais parados nas ruas e com helicóptero voando.

“Isso não é segurança pública e o resultado dessa má gestão é esse: o crime organizado vem crescendo assustadoramente, os bandidos estão se armando, e o Estado não acompanha esse crescimento. Semana passada mataram um policial dentro de um quartel, hoje aconteceu esse resgate ao batalhão, amanhã pode ser um ataque ao Palácio do Governo, ao Tribunal de Justiça, ao Ministério Público”, disse Wallber.

Para o delegado, a Paraíba está precisando urgentemente de uma nova gestão que trabalhe verdadeiramente no quesito segurança pública. Ainda segundo as palavras do ex-secretário, só isso melhoraria o clima de insegurança no Estado, já que segurança pública não se faz com propagandas e sim com ações e, ainda de acordo com Virgolino, está faltando muito disso aqui. “Falta investimento, falta o reconhecimento dos profissionais operacionais no lugar dos gestores”, criticou.

“Cada crime e cada criminoso tem que ser tratado de uma forma especifica. Além disso, hoje, o governo privilegia a atividade meio, o burocrata é promovido e beneficiado enquanto o operacional é perseguido e escanteado, e quem trabalha cercando o crime é o operacional, o gestor tem pouca valia para a segurança pública, mas o governo prefere aplaudir e beneficiar essas pessoas. O resultado disso são profissionais escanteados e desestimulados, sem bonificação e sem sequer lugar para trabalhar. Estamos perdendo a luta e a tendência é piorar”, finalizou.

 

Fuga no PB1

Cerca de 20 homens fortemente armados explodiram o portão do presídio PB1, no fim da noite deste domingo (9), no bairro Jacarapé, em João Pessoa. Moradores da região circunvizinha relataram ter ouvido muitos tiros, além do barulho da explosão. Na ocasião, segundo foi informado pela Secretaria de Segurança do Estado, mais de 105 detentos fugiram.

Há suspeita de que os presos resgatados tenham sido os quatro que foram detidos na cidade de Lucena, após a explosão de um carro forte. Eles são suspeitos de integrar um grupo criminoso procurado em outros estados.

 

Bastidores da Política

Leave a Reply

Your email address will not be published.