O consumidor que recebe medicamentos através dos Correios e Telégrafos deve se tranquilizar nesse período de paralisação dos funcionários da Empresa em João Pessoa. Em reunião com a Secretaria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor, a Superintendência da ECT confirmou que essa distribuição será mantida em todas as agências, bastando para isso que o consumidor se identifique. O Procon-JP fará a intermediação caso haja alguma dificuldade na prestação desse serviço.

De acordo com o superintendente Estadual dos Correios, Alfredo Fernandes Filho, como não se pode mensurar a quantidade de pessoas que se utilizam da Empresa para enviar ou receber medicamentos, quem se sentir prejudicado pela paralisação deve procurar alguma agência e se identificar para que a encomenda seja liberada. Ele informa que todo o efetivo que não está em greve está focado na área de atendimento e distribuição das encomendas e correspondências, trabalhando de forma alternada.

O titular do Procon-JP considera que a reunião com o superintendente dos Correios foi muito proveitosa e que a Secretaria está a postos para agir em prol do consumidor, inclusive intermediando os casos mais complicados. “Para nós, o caso da liberação do medicamento era o mais urgente porque se trata da saúde das pessoas. Alfredo Fernandes Filho se mostrou sensível a essa questão e chegamos a um consenso sobre o assunto”, disse Helton Renê.

O secretário acrescenta que o consumidor que necessitar desse serviço deve procurar a agencia mais próxima de sua casa e se identificar, podendo retirar o remédio na própria agência. “Quem se sentir prejudicado deve procurar o Procon-JP na sede da avenida Pedro I, 473, no bairro de Tambiá, das h8 às 14h, que vamos tentar resolver a questão junto à direção dos Correios”.

MPProcon – Helton Renê acrescenta que a ata da reunião entre o Procon-JP e a Superintendência dos Correios na Paraíba será enviada para o Ministério Público do Estado para que o MPProcon proceda em âmbito estadual. “Temos um trabalho parceiro com o MPProcon, através do atuante Glauberto Bezerra, e como a greve é em nível estadual, o MPProcon é quem tem a prerrogativa de tomar as medidas cabíveis para proteger o consumidor de toda Paraíba. Vamos continuar nesse trabalho parceiro, que está dando muito certo”.

Comando de greve – O secretário do Procon-JP adianta que a pretensão é se reunir com os representantes dos funcionários dos Correios para garantir o mínimo de prejuízo durante a paralisação da categoria. “Vamos conversar com todos os que estão envolvidos para garantir que o cidadão não seja prejudicado. Nosso papel é tentar, pelo menos, minimizar os danos causados pela paralisação de um serviço como o dos Correios”.

A paralisação – A greve, em nível nacional e por tempo indeterminado dos funcionários dos Correios, iniciou no dia 19 de setembro, atingindo as agências de todo Estado. No Brasil estão atividade, atualmente, 6.500 agências dos Correios e mais de mil pontos franqueados, que não estão participando da paralisação.

Atendimento do Procon-JP:

Sede: Segunda a sexta-feira das 8h às 12h, na avenida Pedro I, nº 473 – Tambiá

Telefones: 0800 083 2015; 3214-3040; 3214-3042; 3214-3046

Procon-JP no MP: segunda a sexta-feira das 8h às 17h, no Parque da Lagoa, nº 300, Centro

Leave a Reply

Your email address will not be published.