O juiz José Milton Barros de Araújo, titular da 3ª Vara Mista da Comarca de Patos, presidiu uma audiência de conciliação com dois núcleos familiares do Brigadeiro Firmino Ayres de Araújo, que durou quase sete horas, nessa segunda-feira (2). O processo do Inventário datava de maio de 1977, em razão de haver sido cumulado com o Inventário de sua primeira esposa Lúcia Vasconcellos, falecida em 1959 vítima de acidente aéreo, conforme os autos.

Ex- Secretário de Segurança do Estado da Paraíba, o Brigadeiro da Aeronáutica Firmino Ayres de Araújo faleceu em 1983, na constância do segundo casamento com a então esposa Deolinda Araújo Neta, que veio a falecer no ano de 2017.

Considerado de alta complexidade sucessória, o processo envolvia imóveis urbanos e rurais nas cidades do Rio de Janeiro, Patos, Santa Terezinha e Mãe D’água; e recursos financeiros em várias instituições. Além da tramitação processual registrar questões de incomunicabilidade de bens, falecimento de herdeiros no curso do processo, também procedeu o reconhecimento de outros herdeiros, o que dificultou a solução do litígio judicial. “Eu atuei nesse processo há 20 anos e é desconsertante ver um conflito familiar ainda sem solução. Importante o diálogo e o consenso entre as partes para que elas possam seguir com a vida”, analisou o magistrado José Milton Barros.

De acordo com o advogado Herberto Palmeira Júnior, que defendia os interesses de parte do primeiro núcleo familiar e a integralidade do segundo, não é fácil encerrar uma lide de 41 anos, mas a razoabilidade prevaleceu. “Muitas reuniões foram precedentes a audiência de conciliação, contudo a sensibilidade do juiz José Milton Barros foi determinante”, ressaltou. O advogado destacou, ainda, a conduta do assessor do magistrado, servidor Thales José de Andrade, que “esteve sempre buscando a pacificação das partes numa audiência que durou quase sete horas”, observou.

O acordo, que será homologado logo após a execução de algumas diligências, prevê a divisão dos imóveis rurais, respeitando-se os núcleos familiares, de acordo com o período em que foram adquiridos, assim como os recursos financeiros, nesse caso, respeitando-se a meação do segundo casamento.

Brigadeiro Firmino Ayres, cujo nome é homenageado no Aeroporto da cidade de Patos, foi um dos responsáveis pelo batismo do 1º Grupo de Aviação de Caça da Força Aérea Brasileira (1º GAVCA): ‘Senta a Pua!’. Firmino Ayres, quando atuava na Base Aérea de Salvador, usava a expressão para concitar os companheiros e subordinados a cumprirem rapidamente as missões e ordens que dele recebiam. Ficou sendo, para a FAB, o equivalente ao “Tally-Ho!” britânico e ao “A la chasse!” dos franceses. O 1º GAVCA atuou na Segunda Guerra Mundial (1944-1945). Fonte: http://www.rudnei.cunha.nom.br/FAB/br/1gavca.html, acessado em 5 de abril de 2018.

Leave a Reply

Your email address will not be published.