Na manhã desta terça-feira (5), agentes da Polícia Federal e do Ministério Público Federal deflagraram mais uma fase da Operação Lava Jato, desta vez tendo como alvo  suspeitos de comprar jurados da eleição do Rio de Janeiro como sede da Olimpíada de 2016. Buscas são feitas na casa do presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e do Comitê Rio 2016,  Carlos Arthur Nuzman, no Leblon, Zona Sul do Rio, além da sede do COB. Nuzman será intimado a depor nesta terça na sede da PF.

Há ainda um mandado de prisão contra Arthur César de Menezes Soares Filho, conhecido como Rei Arthur (ex-dono da fornecedora do Estado chamada Facility), e outro contra Eliane Pereira Cavalcante, ex-sócia dele na empresa.

De acordo com investigações, Nuzman teria tido participação direta na compra de votos do membros do COI para os Jogos e que teria sido o responsável por interligar corruptos e corruptores.

O dinheiro do esquema vinha do empresário Arthur Soares, que abastecia uma conta no Caribe, gerenciada por um operador do esquema do ex-governador de Sérgio Cabral. Arthur Soares está em Miami, nos Estados Unidos, e pode ser preso lá ainda nesta terça.

O Ministério Público das Finanças francês também participa da ação, já que já vinha investigando o esquema de compra de votos para a escolha da sede da Olimpíada.

 

jornal do brasil

Leave a Reply

Your email address will not be published.