Até este domingo, João Pessoa é a Capital Mundial da Economia Criativa, reunindo representantes de diversas cidades de todo o mundo que, assim como a Capital paraibana, foram reconhecidas e fazem parte da Rede Mundial de Cidades Criativas da Unesco. Foi aberta oficialmente pelo prefeito Luciano Cartaxo na noite desta segunda-feira (19), a Feira Internacional de Economia Criativa, uma realização da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) em parceria com o Sebrae com o aval da Unesco e que contará com cinco salões nas áreas de artesanato, música, cinema, gastronomia e design.

“É um momento muito especial para a história de João Pessoa, que foi incluída em uma seleta lista de 180 cidades de todo o mundo reconhecidas pelos esforços no desenvolvimento da economia criativa. Assumimos o compromisso de realizar esta feira na área do artesanato quando estivemos na Polônia tomando posse na Rede, mas resolvemos ampliar para a economia criativa como um todo, trazendo uma discussão muito importante e abrindo nossa cidade a todas as potencialidades do desenvolvimento da criatividade e da aposta real no talento do pessoense”, afirmou Luciano Cartaxo.

A Feira Internacional acontece no complexo da Estação Cabo Branco-  Ciência, Cultura e Artes. No local, acontecerão oficinas, workshops, shows musicais, mesas redondas, exibição de filmes nacionais e estrangeiros. A solenidade de abertura da Feira aconteceu no auditório da Estação e contou com as presenças dos superintendentes do Sebrae na Paraíba e no Ceará, representantes da UFPB, IFPB e do Governo do Estado, além do coordenador do programa João Pessoa Cidade Criativa, Eduardo Barroso.

“Ao conceder o título de Cidade Criativa a João Pessoa, a Unesco reconheceu o esforço realizado nos últimos cinco anos em projetos de importante impacto social como é o caso do João Pessoa Artesã (JPA), idealizado e conduzido pela primeira-dama Maísa Cartaxo. A cidade tem potencial  como polo de escoamento da produção artística rica e diversificada e também tem propostas e compromissos pelos próximos cinco anos. Com esta Feira, João Pessoa já cumpre um de seus compromissos e aponta o caminho que pretende seguir, o caminho da sustentabilidade, pautado na capacidade humana de superação de seus problemas com inteligência e criatividade”, destacou Eduardo Barroso.

O superintendente do Sebrae na Paraíba, Walter Aguiar, falou da parceria com a PMJP e da aposta nas potencialidades da região para o desenvolvimento sustentável. “O papel que está reservado para a Economia Criativa no Nordeste e na Paraíba é fundamental. Temos hoje uma série de iniciativas que não conseguimos transformar em negócios que gerem riquezas. O que nós temos no artesanato, na cultura e na área de tecnologia da informação representam uma riqueza muito grande que precisamos nos apropriar. A iniciativa da Prefeitura, que tem todo o apoio do Sebrae,  é no intuito de tentar abraçar as entidades, as organizações, as empresas e pessoas que veem este potencial e este fator de desenvolvimento muito forte”, afirmou.

A coordenadora do Programa João Pessoa Artesã (JPA), Maísa Cartaxo, falou do trabalho que já vem sendo desenvolvido pela Prefeitura. “Desde 2013 nós temos o JPA, realizado no sentido de capacitar artesãos, de abrir novos espaços de comercialização, a exemplo do Celeiro Espaço Criativo, ou seja, políticas efetivas para fortalecer o artesanato. A cidade vive este bom momento na economia criativa porque tem uma gestão que acredita nas pessoas e na capacidade delas de desenvolverem arte das mais variadas formas”, declarou.

Leave a Reply

Your email address will not be published.