Ativistas do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto) ocuparam na manhã desta segunda-feira (16) o apartamento 164-A do edifício Solaris, no Guarujá, litoral de São Paulo, em protesto contra a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Recolhido na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR) desde o último dia 7, Lula cumpre pena de 12 anos e 1 mês de prisão por supostamente ter beneficiado a empreiteira OAS em contratos com a Petrobras. De acordo com a 13ª Vara Federal de Curitiba e a 8ª Turma do TRF4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), o apartamento faria parte da propina paga ao ex-presidente.

Imagens transmitidas ao vivo no perfil do Facebook do líder do MTST, Guilherme Boulos — pré-candidato à Presidência da República pelo PSOL —, mostram uma bandeira da Frente Povo Sem Medo hasteada no tríplex, que fica no último andar do edifício.

“MTST e a Povo Sem Medo acabam de ocupar o triplex do Guarujá, atribuído a Lula por Moro. Se é do Lula, o povo poderá ficar. Se não é, por que então ele está preso?”, pergunta mensagem postada na página de Boulos.

No último discurso em São Bernardo do Campo (SP) antes de ser preso, Lula citou Boulos como representante da nova política brasileira, comparando o trabalho do militante à frente do MTST com sua própria trajetória no movimento sindical nos anos 1970.

Em frente ao edifício, ativistas entoam gritos de apoio ao ex-presidente Lula. “Estão falando que [o apartamento] é dele, então é nosso”, dizem eles.

Leave a Reply

Your email address will not be published.