“Estou toda me tremendo. Infelizmente, estou vendo aqui retratos da vida real. Trabalhei numa delegacia 18 anos e cenas assim eram comuns. Me emocionei”, disse a funcionária pública aposentada, Nedite Roque. Ela foi uma das centenas de pessoas que pararam no hall de um shopping no Centro de João Pessoa para ver a intervenção teatral da campanha promovida pelo Ministério Público da Paraíba, no dia 8 de Março. O slogan “Não é amor. É violência” ecoava no ambiente, levando homens e mulheres a refletirem sobre os males da violência doméstica e para a importância de prevenir e proteger.

Oito atores da Companhia de Teatro Abner encenaram quadros vivos, com situações vividas em famílias afetadas por práticas machistas para silenciar, subjugar, desrespeitar e tirar a vida de mulheres. A promotora de Defesa dos Direitos da Mulher, Dulcerita Alves, acompanhou boa parte da intervenção teatral, interagindo com as pessoas que paravam para comentar a importância da campanha. “Precisamos dizer para as mulheres que elas precisam pedir ajuda, que elas não devem se calar diante da violência. A campanha foi uma das formas que encontramos para fazer isso”, disse.

O MPPB também está realizando capacitações e interlocuções com outros órgãos ministeriais para trabalhar mais efetivamente com a reabilitação dos homens enquadrados na Lei Maria da Penha. Os promotores de Justiça envolvidos nessa ação acreditam que punir por si só não basta e que é preciso evitar que os agressores reincidam nos crimes.

A mensagem contra a violência doméstica está sendo veiculada nos veículos de comunicação e nas redes sociais do Ministério Público (mppboficial), durante este mês de março. A campanha tem o apoio da Companhia de Teatro Abner e da produtora Castanhola.

Leave a Reply

Your email address will not be published.