O deputado estadual e candidato a deputado federal nas próximas eleições, Bruno Cunha Lima (SD), criticou através de publicação no Instagram o uso de recursos públicos para o financiamento das campanhas eleitorais. Para ele, esse dinheiro deveria ser investido em áreas prioritárias, como saúde, segurança pública e educação.

“Por consciência e por coerência fui contra a decisão dos atuais deputados federais e senadores de criar um fundo eleitoral que retira quase R$ 2 BILHÕES dos cofres públicos para financiar as suas campanhas. Todo esse dinheiro sai da saúde, da educação, da segurança e das áreas que deveriam ser prioridade para bancar as campanhas dos candidatos mais poderosos – até porque só recebe esse dinheiro quem já tem “bala na agulha”. Me posicionei contrário na Assembleia, na imprensa e aqui nas redes sociais – basta olhar as publicações de Out 17”, publicou. “Eleição passada, quando fui candidato a deputado estadual, fui o único dos eleitos pelo partido que fazia parte a não receber dinheiro do partido. Por uma questão de coerência, continuo com o mesmo posicionamento agora, na campanha de federal, rejeitando mais de R$ 1 milhão do Fundo Eleitoral, aos quais teria direito apenas para fazer campanha (não poderia gastar com qualquer outra coisa, como, por exemplo, com alguma instituição filantrópica)”, completou.

“Não rejeitei esse dinheiro pra tentar ser o “bonzão”. Rejeitei porque tenho em mim a responsabilidade de ser cristão, porque há 4 anos convivo dentro dos hospitais de câncer aqui da Paraíba e sei das dificuldades que os pacientes enfrentam todos os dias com falta de remédios, com as dificuldades para realizar exames e cirurgias. Quando a “turma” que tá lá em Brasília retira R$ 2 BILHÕES de dinheiro público para pagar campanha dão prova de que não falta dinheiro nesse país, falta é prioridade”, refletiu o candidato. “Até agora, sou o único candidato a Deputado Federal da Paraíba a fazer isso. Espero duas coisas: 1) que esse pensamento se espalhe pra outros candidatos e 2) que esta informação possa lhe ser útil no dia 07 de outubro, quando for decidir quem será seu novo representante em Brasília, a partir do próximo ano”, concluiu Bruno Cunha Lima.

Leave a Reply

Your email address will not be published.