Brasil

Rede de supermercados suspende anúncios na Globo em apoio a Bolsonaro

Uma das maiores redes de supermercados do Paraná, a Rede Condor, decidiu suspender a veiculação de anúncios publicitários no intervalo dos jornais e das novelas da TV Globo. A medida foi anunciada nas redes sociais nesta segunda-feira (4) e, segundo a empresa, é uma maneira de protestar contra a veiculação de matérias “sensacionalistas” que atacam a imagem do presidente Jair Bolsonaro.

“Tal decisão está fundamentada na parcialidade que o jornalismo nacional desta emissora vem demonstrando, onde apresenta matérias sem o devido cuidado, apenas de cunho sensacionalista, especialmente contra o Presidente da República”, informou a rede de supermercados, cujo proprietário, o empresário Pedro Zoanir Jonta, já havia demonstrado apoio ao governo Bolsonaro. Zonta já postou fotos com Bolsonaro e os ministros Sergio Moro e Ricardo Salles na sua conta pessoal do Instagram.

“Temos constatado muitas medidas que beneficiarão o futuro do país, mas muito pouco tem sido divulgado, demonstrando a parcialidade que parte da imprensa tem praticado”, continua a empresa, que comunicou a suspensão de parte da campanha publicitária que mantinha com a Globo no Facebook. O post, publicado na página oficial da Rede Condor, teve mais de 2,2 mil comentários e mais de 1,5 mil compartilhamentos. Veja:

Com mais 12 mil colaboradores e 49 lojas, a Rede Condor ressaltou, por sua vez, que vai manter os investimentos na afiliada da Rede Globo no Paraná, a RPC, em uma tentativa de reforçar “a programação regional e de entretenimento saudável”. A suspensão das campanhas publicitárias vale, portanto, para os horários referentes aos jornais de exibição nacional da Globo, como o Jornal Nacional, e aos programas que, no entendimento da empresa, contrariam “os princípios e os valores familiares”. Entram nesse rol de programas, a novela das nove e Malhação. “Não cortamos as propagandas da RPC, afiliada Globo, apenas não serão veiculadas em certos horários”, destaca a rede atacadista.

A medida da Rede Condor foi anunciada poucos dias depois de a TV Globo veicular no Jornal Nacional o depoimento do porteiro que associava a família Bolsonaro a um dos suspeitos de ter assassinado a vereadora Marielle Franco. O depoimento já foi deslegitimado pelo Ministério Público e pelo próprio Bolsonaro, mas continua sendo questionado, sobretudo depois que o presidente pegou os registros da portaria do condomínio em que morava no Rio de Janeiro, com a ajuda do filho Carlos Bolsonaro, dizendo que a medida era necessária para que os áudios não fossem adulterados. A oposição chegou até a pedir a busca e apreensão desse material e quer que o Ministério Público faça uma nova perícia sobre os áudios da portaria.

A suspensão de campanhas publicitárias na Globo, por sinal, foi sugerida pelo próprio Bolsonaro na live realizada na semana passada. Na transmissão, o presidente criticou a TV Globo pela publicação do depoimento do porteiro e acusou a emissora de perseguição, já que estava em Brasília no dia da morte de Marielle. No fim, ainda ameaçou não renovar o contrato de concessão da Globo e sugeriu que os empresários deveriam rever o investimento publicitário na emissora.

É por isso que a Rede Condor garante que não é a única empresa a romper acordos com a Globo em repúdio à publicação de matérias como essa. Segundo a rede de Pedro Joanir Zonta, “atitude semelhante vem sendo adotada por várias empresas que compactuam da nossa mesma preocupação com o futuro do nosso país”.

A Bocchi Agronegócios, que também é do Paraná, por exemplo, não anunciou a suspensão de campanhas publicitárias, mas emitiu uma nota de repúdio à TV Globo que teve mais de 17 mil compartilhamentos no Facebook. Na nota, a empresa manifesta “apoio incondicional” a Bolsonaro e acusa a Globo de tentar “abalar a ordem no país através de graves calúnias contra o chefe maior do estado”.

Aliado de Bolsonaro e dono da rede Havan, o empresário Luciano Hang também usou as redes sociais para “parabenizar os empreendedores que estão cancelando suas propagandas por não compactuarem com as fake news da Globo”.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar