O Serviço Especializado em Abordagem Social (Ruartes) realizou 522 abordagens nos primeiros seis meses deste ano em João Pessoa. Destas, 290 foram abordagens de pessoas que utilizam a cidade como fluxo migratório, ou seja, não têm ligação com a cidade, vindo de outros municípios e estados. São crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos que foram encontrados em situação de rua e vulnerabilidade social.

O serviço é ligado à Diretoria de Assistência Social (DAS) que faz parte da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) e tem como objetivo assegurar o atendimento às pessoas em situação de rua, visando construir um caminho para saírem dessas condições. Além disso, é feito um resgate da cidadania através de atividades direcionadas para o desenvolvimento de sociabilidade, na perspectiva de fortalecimento de vínculos interpessoais e familiares, que viabilizem a construção de novos projetos de vida.

A partir da identificação da situação destas pessoas, seja por meio de denúncia ou nas buscas ativas em áreas previamente planejadas, as equipes do Ruartes realizam o atendimento e direcionam para que os devidos encaminhamentos aconteçam, seja para a reintegração familiar, recâmbio para o município de origem, acesso à documentação civil básica, conselho tutelar, serviços de saúde, acolhimento institucional, cadastramento em programas sociais e outros serviços ofertados pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP).

A coordenadora do Ruartes, Amparo Santos destacou o trabalho realizado na abordagem a crianças e adolescentes. “Nestes primeiros seis meses realizamos 96 abordagens nos semáforos da cidade, 23 em feiras e 28 em portas de supermercados. Percebemos que a maioria destas crianças e adolescentes estão nessa situação por conta da falta de estabilidade econômica do país, que afeta as famílias e eles acabam sendo induzidos e conduzidos pelos familiares a trabalharem nestes pontos alegando complementar a renda”, explicou.

As abordagens são realizadas pelo serviço, impulsionadas por denúncias, busca ativa e outras. Este ano, o Ruartes recebeu 232 denúncias, realizou 465 buscas ativas e 251 monitoramentos. A equipe é formada por assistentes sociais, pedagoga e psicopedagoga.

Disque 156 – A população ao identificar situações como estas tem à disposição o Disque 156, serviço de denúncia de violação de direitos disponibilizado pela PMJP.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Send this to a friend