De acordo com a população, ‘era para ser um debate democrático sobre aumento da taxa de iluminação pública, mas olha como acabou’

 

Um pedido de vista, encaminhado pelo vereador Luciano Gonçalves (Luciano do Bolo), fez com que o presidente da Câmara Municipal, Marcelo Bandeira (PSB) decidisse, nesta terça-feira (22), pelo adiamento da votação do projeto de aumento da CIP (Contribuição de Iluminação Pública) encaminhado ao Legislativo guarabirense pelo prefeito do município, Marcus Diôgo (PSDB).
A matéria, conforme o presidente Marcelo Bandeira, será votada na próxima terça-feira (29). O projeto vai ser apreciado no auditório da OAB Guarabira, já que as dependências da Casa Osório de Aquino não mais estarão à disposição dos vereadores, devido as obras de reforma e ampliação do Legislativo municipal.
Principal crítico ao aumento da CIP, o vereador Renato Meireles (PSB) foi à tribuna da Casa e, ao se pronunciar, conclamou o povo a sair, novamente, às ruas em protesto contra o projeto. Nesse momento, a plateia, a maioria seguidora política do parlamentar socialista, começou a se rebelar, gritando e exaltando até insultos contra os vereadores.
Foi a partir daí também que o presidente da Câmara Municipal, temendo maiores problemas, encerrou, por definitivo, a sessão ordinária desta terça-feira (22). Na quinta-feira (24), o plenário da Casa deverá apreciar emenda apresentada pelo vereador Ricardo Idimarques Silva (Marcos de Enoque – PSDB), integrante da base governista, que pede a isenção da CIP para quem consome até 100 Quilowatts.

 

 

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Send this to a friend