Após levantamento do Instituto Datafolha realizado a pedido do Fórum Brasileiro de Segurança

Pública (FBSP), de fevereiro de 2018 a fevereiro de 2019, cada quatro mulheres brasileiras com mais de 16
anos já sofreu agressão. Com isso, o educador físico, professor de defesa pessoal e jiu-jitsu, representante da

equipe GFteam na Paraíba, Tayrone Damaceno, afirmou que tem aumentado a procura pela defesa pessoal com o objetivo de proteger a integridade física e psicológica da possível vítima.
“Ao contrário do que a sociedade pensa, defesa pessoal não envolve apenas conflitos, mas um trabalho psicológico, um diálogo bem feito já é um tipo de defesa pessoal. Uma pessoa que tem uma maior eloquência numa discussão ela vai conseguir evitar tanto o conflito corpo a corpo como tambem vai conseguir conter a situação”, explicou o pro-
fessor.
Complementado, Tayrone alertou as mulheres:  “A defesa pessoal começa muitas vezes na investigação da situação que a pessoa está vivenciando. Vai ter ocasião em que a melhor resposta é não reagir. Às vezes a melhor defesa é sair correndo”, avisou.
Matéria Completa:  Publicado na edição de DOMINGO, 16 de fevereiro de 2020; JORNAL UNIÃO

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Send this to a friend