Oposição planta denuncia, por trabalho e ações desenvolvidas na Câmara Municipal de Sapé Procurando e denunciando chifre na cabela de cavalo. É assim que o presdente da Câmara Municipal de Sapé, Jonhy Rocha (PSDB), classificou a “denúncia da vez” plantada por parte da mídia a serviço da Prefeitura Municipal. Na matéria, plantada, a Casa Augusto dos Anjos teria gasto R$ 20 mil, no ano passado, com aquisição de feijão, óleo de soja, farinha de mandioca, sal, arroz branco, entre outros itens, e não tinha servido uma refeição sequer em 2017.

De acordo com o presidente da Casa, a denúncia diz respeito ao Pregão Presencial nº 005/2017 a qual foi aderida pela Casa Augusto dos Anjos que adquiriu de fato itens citados na reportagem. Porém, serviu sim, várias refeições em 2017. Ele esclareceu ainda que o fato de ter aderido a uma ata de registro de preços, não obriga o gestor de adquirir os itens.

– Durante o exercício de 2017, houveram vários eventos e atividades internas os quais se tornou necessário o fornecimento de refeições, como por exemplo, sessões itinerantes da Câmara, audiências públicas, sessões solenes, palestras, eventos comemorativos, entre outros. Esclareceu Rocha.

Segundo ele, tal procedimento é absolutamente legal, de acordo de com a Lei 8.666/93 (Lei de Licitações). “O prefeito e seus asseclas esqueceram ainda de “denunciar” que ainda foram gastos, R$ 2.484,88 (dois mil, quatrocentos e oitenta e quatro reais e oitenta e oito centavos) em materiais de limpeza, de uso absolutamente constante para o cotidiano da Câmara”, desdenhou o presidente.

Leave a Reply

Your email address will not be published.