A necessidade de repensar o sistema tributário brasileiro é discutida  há tempos. Para amenizar a complexidade do sistema, a candidata a deputada federal, Procuradora Mônica (PSDB), defende a criação de um imposto único.

 

Mônica explica que dessa forma é possível alcançar maior simplicidade, transparência, igualdade e um melhor ambiente de negócios no país, já que o empreendedor é o que mais sofre com o modelo atual. “Durante mais de 30 anos como procuradora, pude testemunhar o peso dos impostos para o empresário”, contou.

 

A procuradora explica que a carga tributária no Brasil é muito focada nos impostos indiretos e isso acaba afetando diretamente os mais pobres, que pagam impostos sem saber. A candidata também defende que esse modelo seja revisto gradativamente, de forma a trazer um maior equilíbrio, posto que afeta diretamente a economia dos estados , municípios e a união em face da característica única de cada um.

“Esta carga afeta diretamente os mais pobres, porque eles têm um momento de consumo que se iguala ao dos mais ricos, mas os salários não acompanham. Um exemplo prático é de quem recebe até 3 salários mínimos, a carga chega a 50% e quando a renda sobe para até 20 salários mínimos, essa carga cai para 10%”, afirmou.

Quando o contexto é a burocracia versus corrupção, de acordo com a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), 75% da população acredita que o excesso de burocracia é um estímulo à corrupção. Já entre as empresas, 90,2% disseram que o excesso de burocracia abre espaço para a corrupção.

“A experiência e o conhecimento adquiridos ao longo destes mais de 30 anos, lutando contra a sonegação dentro da Paraíba como Procuradora, me trouxeram a seguinte certeza: colocar o meu nome à disposição da população para ocupar uma vaga na Câmara Federal para poder contribuir de forma mais ampla, lutando pelos direitos do povo”, finalizou.

About The Author

Related Posts

Leave a Reply

Your email address will not be published.