Os vereadores Marcos Henriques (PT) e Carlão (PSDC) travaram um debate acerca do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva (PT), na sessão ordinária desta quarta-feira (28), da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP). Abrindo os discursos em tribuna, Marcos Henriques repudiou as atitudes de ódio e violência contra Lula (PT), que na tarde desta terça-feira (27), teve dois dos quatro ônibus que participavam de evento de sua caravana, no Paraná, atingidos por três tiros. Por sua vez, o último orador do dia, Carlão, antagonizou o pronunciamento anterior, alegando que o ex-presidente teria se utilizado do poder para suprir interesses próprios, passível de condenação judicial.

Marcos Henriques também lamentou que alguns parlamentares se coloquem no papel de incitar perante a população atitudes violentas e de ódio gratuito, alegando que isso geraria um clima de desordem, o que colocaria em xeque a democracia do País.

“A senadora Ana Amélia (PP-RS) estava incitando a violência contra Lula, parabenizando os que estavam agindo com violência. O ódio que está sendo causado na política é uma verdadeira aversão à própria política. Os maiores monstrengos são aqueles que incitam a violência, o desrespeito, e a discriminação. Além disso, a desordem está vindo com a quebra da democracia no nosso País, através de uma desconstrução do Capital sobre o trabalho”, reclamou Marcos Henriques.

Segundo o vereador petista, o momento requer muita atenção, pois “violência se combate com emprego e políticas públicas em prol do cidadão”, reforçando que “nunca pensamos que o ‘bandido bom é o bandido morto’ quando o grande traficante está no parlamento, quando ele é aquele que veste o colarinho branco, quando ele não está de short e chinela nos noticiários da mídia”.

Para Carlão, o direito do ex-presidente de concorrer à presidência já foi garantido uma vez. “Ele já teve esse direito, subiu pelos braços do povo e, ao chegar lá, utilizou-se do alto do poder, de sua popularidade e de sua caneta forte para fazer com que investimentos bilionários viessem à falência. Se aproveitando do posto para criar o Instituto Lula, recebendo dinheiro de empreiteiras e afundando a construção civil no Brasil”, destacou, antes de repudiar: “Lançar um homem condenado à presidência? É esse exemplo que queremos lançar para a nação?”.

O vereador João Almeida (Solidariedade) entrou no debate elencando o que considera avanços do governo do ex-presidente. “Estamos falando do homem que conseguiu realizar a transposição do Rio São Francisco, que resgatou a imagem do homem nordestino. Homem respeitado no mundo inteiro e que foi condenado sem provas por uma justiça que não confio. Uma justiça que se desmoraliza ao vivo para todo mundo ver. O homem do bolsa família, do acesso do pobre ao nível superior. Foi o homem que mais fomentou a construção civil no país com o programa Minha Casa, Minha Vida”, declarou.

Marcos Henriques ainda criticou o que caracterizou como “política de ódio”. “Nenhum de nós aqui defende a corrupção. Mas essa política de ódio que Vossa Excelência transmite de maneira contundente é o que está ensejando cenas de violência no país”, concluiu.

Leave a Reply

Your email address will not be published.