Márcia Lucena não segue flexibilização do Governo do Estado e revolta empresários do Conde

Uma reunião virtual, na última terça-feira (21), entre representantes da prefeitura do Conde, no litoral Sul paraibano, e empresários do ramo da hotelaria, comerciantes, barraqueiros e bugueiros, estabelecidos no município, azedou ainda mais a relação do setor com a prefeita Márcia Lucena.

A prefeita é acusada pelo empresariado de não seguir as orientações do Governo do Estado de flexibilização de algumas atividades, a exemplo da abertura de parte do comércio, de pousadas e hotéis, durante o período de isolamento social provocado pela pandemia do Coronavírus (Covid-19). Uma nova reunião foi marcada para a próxima terça-feira (28).

“Só para relembrar o Governo do Estado mudou a bandeira do Conde de laranja para amarela, permitindo a abertura de parte do comércio, de pousadas e hotéis. Já publicou um protocolo de segurança elaborado com as Associações de classe e inexplicavelmente a prefeitura do Conde trava todas as ações de retomada”, desabou um empresário, que pediu reserva do seu nome, por temer retaliações.

“Fomos convocados para uma reunião com a prefeitura do Conde e esperávamos definir protocolos, datas de abertura, um plano de retomada do turismo. Frustração total. Só desculpas. Os dois secretários que participaram da reunião {turismo e saúde} estavam perdidos, sem planejamento, sem datas , sem definições”, acrescentou.

Ainda segundo o empresário, a “secretaria de saúde foi questionada sobre a abertura e mudança de bandeira, mas afirmou que o Governo do Estado não conhece a realidade do Conde e que ela é a responsável por essas definições e não o Executivo estadual”. “o secretário de turismo quando questionado sobre o plano de retomada informou que estava doando do próprio bolso cestas básicas para bugueiros”, completou.

 

 

Cristiano Teixeira