Município de Gado Bravo terá Eleição Suplementar para eleger prefeito e vice-prefeito

 

O município de Gado Bravo terá Eleição Suplementar para escolha de novos prefeito e vice-prefeito, neste domingo (12). Sob a presidência do juiz José Ferreira Ramos Júnior, a Comissão de Auditoria das Urnas Eletrônicas para a Eleição Suplementar de Gado Bravo-PB deu início, nesta sexta-feira (10), a instalação dos equipamentos que serão utilizados neste sábado (11) e no domingo, voltados à realização do sorteio de duas urnas eletrônicas para auditagem.

O juiz Ferreira Júnior explicou que são duas as auditorias, uma de funcionamento em condições normais de uso da urna, para testar a segurança e a confiabilidade da urna eletrônica na captação e contabilização do voto, e outra, para verificação da autenticidade e da integridade dos softwares instalados nas urnas, ampliando a transparência do processo de votação.

O magistrado disse, também, que o sorteio dessas urnas será realizado neste sábado, às 15h, na Escola Municipal Padre Godofredo, situada na Rua Cruzeiro do Sul, s/n, Centro de Gado Bravo. Após o sorteio, serão preenchidas cédulas de papel com votos para os candidatos, cédulas com votos brancos e cédulas com votos nulos, de forma aleatória, para serem utilizadas na auditoria de funcionamento da urna eletrônica no domingo (12), no mesmo horário em que acontece a Eleição Suplementar, das 7h às 17h.

O presidente da Comissão de Auditoria das Urnas Eletrônicas informou, ainda, que essa auditoria é uma votação, paralela à Eleição oficial, que tem por objetivo demonstrar que “a quantidade de votos digitados na urna eletrônica a partir das cédulas é a mesma que aparecerá no Boletim de Urna expedido ao final da votação”.

Explicando sobre auditoria de verificação da autenticidade e integridade dos sistemas instalados na urna, o juiz afirmou que tal auditoria acontece na seção eleitoral, no dia da eleição, antes da emissão da zerézima, na presença do juiz eleitoral, dos representantes e fiscais dos partidos e de presidente da mesa receptora de voto.

“Eleições suplementares são tão importantes quanto eleições municipais ou gerais, por isso todas as providências foram atadas”, asseverou o juiz Ferreira Júnior, presidente da Comissão de Auditoria de Urnas eletrônicas.